Quasi-ópera

2019

Tradução, de a à A, e todas as letras consequentemente.

Da fala à notação musical; da conversa à ópera.

 

A instalação Quasi-ópera trata do processo de tradução intersemiótica entre som, texto e corpo. É composta por 5 caixas de som, de onde ressoam cinco vozes líricas espacializadas, e uma partitura.

A instalação é resultado de três processos de tradução: em um primeiro momento, 5 pessoas se juntam em uma roda de conversa e, durante 15 minutos, criam diálogos improvisados a partir da temática Brasil, sob diferentes abordagens de disparo criativo. Concomitante à essa ação, um pedal analógico afinador de guitarra está plugado ao microfone onde os participantes conversam, "afinando" as vozes e interpretando seus pitchs, criando notações musicais. 

Após a roda, a partitura para a ária de ópera foi criada e arranjada para cinco vozes. E, por fim, houve o processo de gravação com os cantores líricos. 

Uma mezzo soprano, um barítono, uma soprano, uma contra-alto e um baixo alteram-se na cantoria; as vozes mesclam-se, em espaços  de ruído e silêncio, criando uma dinâmica de operação, resultando em uma quasi-Ópera experimental. A característica dessa quasi-ópera é a dissonância, os fragmentos composicionais que se chocam, considerando a improvisação daqueles vozes e palavras que surgiram no acontecimento da conversa.

A Quasi-ópera surge na ânsia de pensar esses processos de tradução e composição em relação à música e à palavra, às possibilidades sonoras do falar, para além daquelas comunicacionais da língua.

________________________________________________

Translaction, from a to A, and every letter forward.

From the speech to the musical notation; from the conversation to the opera. 

The Quasi-opera installation deals with the process of intersemiotic translation between sound, text and body. It is composed of 5 speakers, from which resonate five spatial lyrical voices.

The installation is the result of three translation processes: at first, 5 people gather in a conversation wheel and, for 15 minutes, create improvised dialogues based on the theme "Brazil", under different creative firing approaches. Concurrent with this action, an analog guitar-tune pedal is plugged into the microphone where participants talk, "tuning" the voices and interpreting their pitches, creating musical notations.

After the wheel, the musical sheet for the opera aria was created and arranged for five voices. And finally, there was the recording process with the lyric singers.

A mezzo soprano, a baritone, a soprano, an alto and a bass change in the singing; the voices blend into spaces of noise and silence, creating a dynamic of operation, resulting in an almost quasi-opera opera. The characteristic of this quasi-opera is the dissonance, the shocking compositional fragments, considering the improvisation of those voices and words that arose in the event of the conversation.

Quasi-opera arises in the eagerness to think about these processes of translation and composition in relation to music and word, the sound possibilities of speech, beyond those of communicational language.