Submersa

2019

Parte da série de podcasts "Tantos Brasis" realizado para o 6 Festival Kino Beat (2019), a radionovela "Submersa" narra uma história antropocênica ou mesmo pós-apocaliptica, com cenários fantasiosos submarinos que devem ser imaginados pelos ouvintes. A equipe liderada pela comandante Iara ruma em direção à Terra, planeta anos luz debaixo d'agua após o derretimento de todas as calotas polares, com a missão de extrair combustível do fundo do oceano brasileiro. Ao chegarem à Baía de Todos os Santos, deparam-se com uma sociedade brasileira que adaptou-se às novas condições de vida. Vistos como extraterrestres, a tripulação de Iara é capturada pelos brasileiros e deve negociar a sua soltura. O conflito toma caráter não apenas comunicacional como também ideológico no momento que Iara passa a questionar-se sobre a possibilidade de colonização daquele povo que, na verdade, são seus próprios ancestrais. A radionovela tem formato de diário de bordo, narrada pela comandante.

Esta ficção surge como um manifesto pela possibilidade futura de um Brasil outro. Permeado pela ginga entre uma realidade distópica e uma fabulação imanente, a narrativa dança por um resgate do presente e da urgência do debate de questões decoloniais, sobre as mudanças climáticas e a intolerância cultural.

A imagem de capa da radionovela é de autoria de Letícia Lopes, e se chama "Ainda Vivo" (2017).